Aumenta risco de doenças oculares com clima do outono

Dr. José Fabiano Menezes explica como agir diante dos sintomas

Junto com o outono, a chamada meia estação, aumenta a chamada “Síndrome do Olho Seco”. Ela está caracterizada pela redução ou má qualidade da lágrima, além de alergias e conjuntivites.

O oftalmologista José Fabiano, do DayHORC, explica que os principais sintomas do olho seco são vermelhidão, coceira, ardor e sensação de “areia nos olhos”. Ele alerta para a necessidade da procura de um especialista para o diagnóstico. “Só o médico pode determinar a medicação e os cuidados adequados para cada caso”, frisa.

A prática comum de administrar colírios, sem recomendação médica, não é recomendada pelo especialista, que explica: alguns medicamentos podem perder a validade e a função terapêutica em 30 dias. “Além disso, os sintomas podem ser de outras doenças oculares”, ressalva.

Folhas que caem, ambientes menos ventilados e pó nos ambientes durante o outono são portas abertas para o desenvolvimento de conjuntivites alérgicas. Desencadeiam sintomas como vermelhidão no globo ocular, coceira e irritação. “O ideal é marcar uma consulta médica, para uma avaliação adequada”, ressalta o especialista.