“Operação tartaruga” e ameaça de greve de professores em Itabuna

Os professores da rede municipal de ensino, juntamente com o Sindicato do Magistério – SIMPI, decidiram, em assembleia ocorrida nesta terça-feira (17) na USEMI, iniciar a redução da carga horária. Conhecida como “operação tartaruga”, a medida começará na próxima sexta-feira (20), como forma de pressionar o prefeito Fernando Gomes a revogar o decreto que retirou … Leia Mais


Busca e apreensão no gabinete e no apartamento do deputado Lúcio Vieira Lima

Em um desdobramento da operação que apreendeu em setembro R$ 51 milhões em dinheiro vivo em um apartamento de Salvador, a Polícia Federal (PF) cumpriu mandados de busca e apreensão na manhã desta segunda-feira (16) no gabinete do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) na Câmara dos Deputados. Lúcio é irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima, que está preso … Leia Mais


Governador lamenta morte do ex-prefeito de Ibirataia

O governador Rui Costa, por meio de seu perfil oficial no Twitter (@costa_rui), lamentou, na tarde de sexta-feira (13), a morte do ex-prefeito de Ibirataia, Júlio Leal. “Quero me unir ao povo de Ibirataia neste momento de dor e despedida pelo falecimento do ex-prefeito Júlio Leal. Meus sentimentos a sua esposa e a prefeita Ana … Leia Mais


Fernando e os neocompanheiros

Fernando Gomes, prefeito de Itabuna, ex-demista, tem agora um novo ingrediente no seu invejável currículo: conseguiu reunir todos os ex-inimigos políticos de uma só vez. Cinco mandatos de alcaide e quatro de deputado federal são itens secundários diante de um Davidson Magalhães, Wenceslau Júnior e Geraldo Simões como neocompanheiros. Se foi um sonho de Fernando … Leia Mais


Mais um vereador planeja candidatura a deputado em Itabuna

O vereador itabunense Enderson Guinho (PDT), o mais jovem da atual legislatura, sinaliza a intenção de disputar uma vaga de deputado estadual. Segundo ele, percebe no eleitor uma carência de candidatos e, por isso, coloca o nome como opção de renovação. “Isso vem acontecendo a cada ano. As pessoas buscam o novo e precisamos ter … Leia Mais


Amigas entram num carro desconhecido e somem

A polícia investiga o desaparecimento de duas amigas em Mongaguá, no litoral de São Paulo, desde o último sábado (7). Segundo o G1, elas saíram de casa, entraram em um carro e não foram mais vistas. As famílias das meninas estão preocupadas, registraram um boletim de ocorrência e temem que algo grave possa ter acontecido com elas. O caso ganhou grande repercussão nas redes sociais.

Sara Santos Barbosa e Geiza Lima Santos, ambas de 16 anos, são vizinhas e amigas. De acordo com os familiares, as duas estavam na casa de Sara e saíram por volta das 14h. Elas caminharam até um ponto de ônibus, que fica a cerca de 700 metros da residência, e pouco tempo depois foram vistas entrando em um carro branco.

O site, pai de Sara, Juliano Ribeiro Soares, contou que as duas usavam roupas pretas e bolsas verde e marrom. Ainda no sábado à tarde, uma delas postou um vídeo em que aparecia a Ponte Pênsil, em São Vicente, à beira do mar, e depois outro vídeo que mostrava o interior de um elevador. Após essas imagens, os celulares das amigas foram desligados.

Ele diz, ainda, que a filha pediu, há algumas semanas, para participar de um clipe de funk, e afirmou que ganharia R$ 1.000 pelo trabalho. O pai não autorizou. Soares suspeita que as duas meninas tenham sido influenciadas por outras pessoas e estejam em perigo.

“Eu imagino que ela foi fazer alguma coisa e acabou perdendo o controle da situação. A gente não sabe se estão bem, se estão mortas. Estamos preocupados. Elas nunca fizeram nada disso, nunca faltou nada para elas. Mas, infelizmente, hoje tem tanta gente ruim. Tem muitas pessoas ligando, mas só com informações desencontradas. Ela queria gravar um clipe de funk”, explica Soares ao G1.


Bahia receberá 116 profissionais brasileiros do Mais Médicos

A partir desta segunda-feira (09/10) 116 profissionais brasileiros formados no exterior, do programa Mais Médicos, irão começar a atuar na atenção básica de 71 municípios e 1 Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) da Bahia. Os médicos fazem parte dos cerca de 1.400 brasileiros que aderiram ao último edital do projeto. Com esse reforço, somando também aqueles com diplomas do país, já são 8.316 brasileiros no programa, o que representa 45,6% do total. No estado da Bahia, 1.554 médicos já atuam pelo programa do Ministério da Saúde.

A prioridade da pasta é ampliar a participação nacional, tornando a iniciativa mais independente e garantindo atendimento médico à população. O número de médicos brasileiros participantes do Programa Mais Médicos aumentou 44% em menos de um ano. “Este momento é importante para o Brasil e para os brasileiros. Estamos avançando e tenho certeza que vamos oferecer mais qualidade na saúde e na atenção básica com a participação desses novos profissionais no programa Mais Médicos”, ressaltou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Essa é a segunda fase do edital. A primeira foi voltada exclusivamente aos médicos brasileiros formados no país. Esses novos profissionais iniciam as atividades em Unidades Básicas de Saúde a partir da próxima segunda-feira em cerca de 800 municípios de 25 estados e Distrito Federal, além de 8 DSEIs. Juntos, eles devem cobrir região com 4,8 milhões de pessoas. Ao todo, foram 1.985 inscritos, mais de um candidato por vaga.

Durante o mês de setembro, os novos médicos passaram pelo módulo de acolhimento realizado em Brasília (DF). Os profissionais participaram de oficinas educacionais sobre temas diversos, como legislação referente ao Sistema Único de Saúde (SUS), protocolos clínicos de atendimento do SUS, língua portuguesa e código de ética médica. Por fim, os intercambistas realizaram uma avaliação de conhecimento, necessária para a aprovação do profissional participante.

AVANÇOS – A atual gestão do Ministério da Saúde conseguiu avanços significativos para o Mais Médicos. Uma delas foi a renovação por mais três anos do programa. Além disso, a pasta conseguiu reajustar o valor da bolsa anualmente aos médicos participantes, e concedeu, também, um acréscimo de 10% nos auxílios moradia e alimentação de profissionais alocados em distritos indígenas, que passou de R$ 2.500 mensais para R$ 2.750. Recentemente, neste mês, o Ministério da Saúde por meio de portaria reajustou também em 10% o valor máximo e mínimo (varia conforme a localidade) repassados pelos municípios aos participantes para custeio de moradia e alimentação.

Criado em 2013, o Programa Mais Médicos ampliou à assistência na Atenção Básica fixando médicos nas regiões com carência de profissionais. O programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), levando assistência para cerca de 63 milhões de brasileiros.
Do total de médicos participantes, 47,1% são profissionais da cooperação com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), 45,6% brasileiros formados no Brasil ou no exterior e 4,16% são intercambistas estrangeiros. As demais vagas serão abertas para reposição.

Desde novembro de 2016, o Ministério da Saúde está abrindo oportunidades para a substituição de médicos da cooperação com a OPAS. Foi feito um levantamento para ver quais cidades atendidas por profissionais cubanos poderiam atrair brasileiros. A expectativa é realizar quatro mil substituições em três anos, tornando a iniciativa mais autossuficiente. Até o momento, mais de 1.000 postos foram substituídos por brasileiros.


Lideranças destacam anúncio da duplicação da Ilhéus/Itabuna

Empresários, produtores rurais, vereadores, secretários municipais e dirigentes de entidades de Ilhéus participaram do ato de assinatura da ordem de serviço da duplicação da Rodovia Jorge Amado, trecho entre Ilhéus e Itabuna, ocorrida hoje (9) e que contou com a presença do governador Rui Costa e do prefeito Mário Alexandre.

Dentre os empresários ilheenses que prestigiaram a iniciativa estava o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Clóvis Júnior. Para ele, a duplicação da rodovia representa a esperança na realização de possíveis outros negócios, incrementando a economia de Ilhéus e da região. Além disso, servirá para melhorar a mobilidade entre duas importantes cidades da região. “Mudanças significativas serão feitas e precisamos nos adaptar a elas”, afirmou.

Sonho antigo – Para a deputada estadual Ângela Sousa, em breve, a estrada será uma realidade. “A região foi esquecida durante muitos anos.  Esta obra é um sonho de muitos anos. Essa é uma briga que nos integramos em 2007, quando cheguei à Assembleia Legislativa”, lembrou. A deputada definiu o governador como um homem comprometido e decente. “Por isso acredito e confio na execução”.

A comitiva de Ilhéus contou ainda com o empresário José Leite de Souza e dos proprietários rurais Gerson Marques, Ronaldo Monteiro e Vinicius Briglia. Estes últimos vão acompanhar, nos próximos meses, a evolução da obra. Uma das quatro pontes que serão construídas passará por suas fazendas de cacau.

A senadora Lídice da Mata disse que a obra é resultado do desejo, do clamor e da luta do povo da região. Presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, o deputado Ângelo Coronel destacou obras importantes – anunciadas e em execução – a exemplo do Hospital do Cacau, nova ponte, hospital materno-infantil, saneamento básico, dentre outras. “Este é um governo realizador. E governo que trabalha não adianta tentar boicotar”, acrescentou Lídice, mandando um recado direto à oposição.

O povo sonha, Deus abençoa e a obra nasce – O Senador Otto Alencar também destacou as ações do governador Rui Costa na região e, em especial, em Ilhéus. “O povo sonha, Deus abençoa e a obra nasce. As últimas obras em Ilhéus vêm de um sentimento de boas administrações, algumas iniciadas por Jaques Wagner e agora conduzidas pelo governador Rui Costa. “Estas obras metem inveja ao Brasil. A Bahia está saneada financeiramente e é, sem dúvida, um dos estados mais respeitados do Brasil”, reforçou Ângelo Coronel. Para o vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal, a obra é de extrema importância por proporcionar mais mobilidade urbana entre os dois maiores municípios sul baianos.

A comitiva de Ilhéus também contou com a participação do presidente da Câmara Municipal, Lukas Paiva, e dos vereadores Gil Gomes, Makrisi Angeli. Luiz Carlos Escuta, Juarez Barbosa, Paulo Meio Kilo.

Investimento – Importante rota para a economia da região, integrada ao porto de Malhado, em Ilhéus, a rodovia é por onde a produção do sul é levada para exportação, além de estar na rota do turismo baiano, na Costa do Cacau. Serão investidos cerca de R$ 105 milhões para a execução do projeto já autorizado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), que vai duplicar a rodovia pela margem direita do Rio Cachoeira.


“Palanque” da duplicação mostra salada de partidos em torno de Rui Costa

O objetivo, afinal, era a assinatura do contrato para a duplicação da rodovia Ilhéus/Itabuna (Fotos: Júnior Riller)
O mantra do senador Otto Alencar: “O tempo do coronelismo passou”
Os petistas Geraldo Simões e Juçara Feitosa, ao lado da turma do PR
O ex-prefeito Vane do Renascer ficou na última fila, mas foi
Wenceslau e Vita: de ex para atual vice-prefeito

A solenidade de assinatura do contrato para duplicação da rodovia Ilhéus/Itabuna, na manhã desta segunda-feira (9), mostrou uma verdadeira “salada” com representantes de diversos partidos na cidade.

Algumas figuras, como o ex-prefeito Vane do Renascer, que não aparecia em eventos do tipo há meses, deu as caras por lá.

E se viu de tudo. Um abraço cheio de gentileza entre o ex-vice-prefeito Wenceslau Júnior (PCdoB) e o atual vice, Fernando Vita (PMDB), como quem diz: “o ‘pepino’ agora é contigo!”.

Como “Rui Correria” – apelido exaustivamente repetido pelo locutor – diz que não fará distinção entre os prefeitos tomando por critério a sigla à qual pertençam, teve mais.

Na primeira fileira, estava o atual gestor, Fernando Gomes (hoje sem partido); na segunda, o ex-prefeito Geraldo Simões, ao lado da esposa, Juçara Feitosa, ambos do PT, junto com os deputados do PR. Os parlamentares muito elogiados no contexto, inclusive.

Não há como ver os dois (FG e GS)  num mesmo “palanque” e não lembrar que foram historicamente rivais e protagonizaram durante anos um verdadeiro ping-pong na cadeira de prefeito de Itabuna.

Como num afago aos dois políticos, Rui parabenizou o fato de estarem abrindo mão de suas diferenças naquele momento. Reconheceu que, como deputado federal, Geraldo Simões, lutou para destravar a obra da duplicação. “Eu agradeço por essa união a favor de Itabuna”, afirmou.

Na mesma linha do casal GS e JF, estava o deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB), que na campanha de 2012 articulou a chegada de Vane à Prefeitura, vencendo Juçara e Azevedo (hoje PTB).

Durante a fala, o senador Otto Alencar (PSD) – até agora lembrado que um dia foi carlista – disse algo que tem bastante a ver com o atual momento da política: “O tempo do coronelismo passou”.

Exemplo bem típico dessa linha, o governador – com aquele jeito manso (ao menos em público) – reuniu representantes de várias legendas na política de Itabuna num mesmo lugar. E todos muito bem comportados.

Foi até bonito de ver! Só faltou se levantarem e dançarem numa roda, ao som da banda Lordão – escolhida para animar o evento. Afinal, o eleitor quer – e exige – novos tempos.


Viúva de ACM, Arlette Magalhães morre aos 86 anos

Viúva do ex-senador e governador da Bahia Antônio Carlos Magalhães e avó do prefeito da capital baiana ACM Neto, dona Arlette Maron Magalhães morreu na manhã deste sábado (7), aos 86 anos, em Salvador. Segundo o G1, ela sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e estava internada no Hospital Cárdio Pulmonar, na Federação, desde a quarta-feira (7).

Primeira dama do estado por três vezes, dona Arlette Magalhães já atuou como presidente das Voluntárias Sociais da Bahia e durante toda a vida participou de diversas ações sociais. Em Salvador, ela foi presidente do Instituto Antônio Carlos Magalhães (ACM) desde a inauguração, em 2010.

Dona Arlette nasceu em Itabuna, no sul da Bahia, e teve quatro filhos, oito netos e 13 bisnetos em um casamento que durou 55 anos. O sepultamento da ex-primeira dama do estado será realizado no Cemitério Campo Santo, em Salvador, às 17h.

Por meio de nota, o prefeito de Salvador ACM Neto falou sobre o luto familiar. “É um momento de dor para toda a família e para aqueles que conviviam com dona Arlette. Perdi uma avó dedicada, uma amiga e grande conselheira”, lamentou.

Por meio das redes sociais, o governador da Bahia Rui Costa prestou solidariedade. “Meus sentimentos aos familiares e amigos da ex-primeira-dama do Estado. Que Deus conforte todos nesse momento de dor”.

Do G1


Correios lança edital de concurso público nas áreas de Segurança e Medicina do trabalho

Os Correios divulgaram nesta quinta-feira (5) edital de concurso público, em âmbito nacional, para o preenchimento de vagas nas áreas de Segurança e Medicina do Trabalho. Organizado pelo IADES, o certame abrange o preenchimento de vagas e formação de cadastro reserva para todas as unidades da federação, com exceção do Mato Grosso.

A seleção tem como objetivo repor o quadro de profissionais técnico-especializados dos Correios, em cumprimento às exigências de norma regulamentadora do Ministério do Trabalho. Essa norma estabelece, dentre outros critérios, a exigência legal mínima de um quantitativo de cargos para compor o SESMT (Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho) da empresa. As vagas são para os cargos de Auxiliar de Enfermagem do Trabalho, Técnico de Segurança do Trabalho, Enfermeiro do Trabalho, Engenheiro de Segurança do Trabalho e Médico do Trabalho.

As inscrições deverão ser realizadas somente pela internet, no site da organizadora do concurso, no período de 9 a 20 de outubro. O valor da inscrição é de R$ 50,00 (cinquenta reais), para os cargos de Auxiliar de Enfermagem do Trabalho e Técnico em Segurança do Trabalho, e R$ 70,00 (setenta reais), para os cargos de Enfermeiro do Trabalho, Engenheiro de Segurança do Trabalho e Médico do Trabalho.

As provas objetivas para todos os cargos, constituídas de 50 (cinquenta) questões de múltipla escolha, ocorrerão na data provável de 26 de novembro, no turno da tarde, com duração de 4 horas.

Os candidatos aprovados em todas as fases da seleção serão chamados a assinar contrato individual de trabalho com os Correios, de acordo com a classificação obtida, a localidade selecionada e as necessidades da empresa. O contrato de trabalho será regido pelos preceitos da Consolidação da Leis do Trabalho – CLT, inclusive no que diz respeito ao período de experiência e à rescisão, sujeitando-se às normas do Regulamento Interno de Pessoal e do Plano de Carreiras, Cargos e Salários dos Correios.


Câmara articula para devolução de AC a professores de Itabuna

Professores compareceram em peso à Câmara de Vereadores na última quarta-feira

Os vereadores de Itabuna vão pedir que o prefeito Fernando Gomes volte a pagar o adicional por Atividade Complementar (AC) ​​a todos os professores. A negociação política, proposta levantada por Ronaldão (PMN), “é a saída mais rápida e com menos sequelas para desfazer esse mal-entendido”, declarou Beto Dourado (PSDB), na Comissão de Educação, na última quarta-feira, 04. Outras opções citadas foram a apreciação do decreto pelo Plenário e a judicialização do pleito.

O corte de 20% do salário-base, a partir de setembro, afetou 500 docentes, segundo o sindicato da categoria. A presidente do Simpi, Carminha Oliveira, rebateu a motivação do Executivo quanto à extinção da vantagem para professores do 4º ao 9º ano e do EJA. No entendimento do Simpi, o adicional para todos os professores teria amparo legal e respaldo tanto em decisões do Tribunal Superior do Trabalho (TST) quanto da Suprema Corte.

Jairo Araújo (PCdoB) ​espera que a Câmara derrube o decreto municipal. Para ele, a gestão itabunense quer “fazer economia [enxugando a máquina] às custas da retirada de direitos [dos servidores]”. Noutra frente, dada as ausências perante a Comissão quarta-feira, o oposicionista protocolou pedido para que o Plenário autorize a convocação dos secretários Anorina Smith (Educação) –  ela justificou-se por escrito – e Moacir Messias (Fazenda) – que verbalmente já havia sinalizado a possibilidade da ausência.

Do Governo, apenas o advogado Kelvin Póvoas, ligado à Procuradoria-Geral, esteve na reunião, mas preferiu participar apenas como ouvinte. Também comparecem representantes do Conselho Municipal de Educação, da Câmara do Fundeb em Itabuna e da Comissão de Defesa do Direito Público da OAB. Os professores municipais compareceram em peso ao ato do Legislativo.

 


Termina nesta sexta-feira prazo do Refis municipal em Itabuna

Os contribuintes devem procurar o Departamento de Tributos da Prefeitura de Itabuna

O Programa Municipal de Recuperação Fiscal (Refis) termina nesta sexta-feira, 6, e o Departamento de Tributos da Secretaria da Fazenda e Planejamento de Itabuna registrou, no penúltimo dia, uma intensa movimentação de contribuintes renegociando suas dívidas com o fisco municipal.

O projeto aprovado pela Câmara de Vereadores e sancionado pelo prefeito Fernando Gomes beneficia a contribuintes em débito de IPTU, ISS e taxas diversas com o município, cujo vencimento tenha ocorrido até 31 de dezembro do ano passado.

Para o diretor do Departamento de Tributos, Emerson Carvalho, na última semana do Refis o atendimento ao público foi ampliado, com as equipes de auditores atuando no período das 8 às 16 horas. O objetivo foi facilitar o acesso dos contribuintes interessados em aderir ao programa.

O Refis oferece um desconto de 100% dos juros e multas de mora ou de infração para pagamento integral. O parcelamento em seis meses tem a redução de 80%; de 60% para 12 meses; 40% num prazo de 24 meses; 30% em 36 meses; 20% em 48 meses e 10% num prazo de 60 meses.  Para as negociações de prazos de 48 a 60 meses, os contribuintes devem efetuar um pagamento de 10% do valor do débito.

 


Escola sem portão e alunos sem recreio no bairro Urbis IV

Duas portas na posição horizontal ficam no lugar do portão

A escola Maria Creuza, no bairro Urbis 4, em Itabuna, suspendeu o recreio há cerca de cinco meses, devido à falta de segurança na estrutura. No local estudam crianças de 6 a 10 anos. Uma mãe de aluno, cuja identidade aqui será preservada, procurou o Diário Bahia, para relatar a situação. Ela disse que foram construídos bancos na área de recreação, mas que estes apresentam problemas – só que não é apenas isso. Acompanhe!

“Crianças já se machucaram e a escola já foi até roubada pelos muros e aberturas indevidas. A comunidade da Urbis 4, Jorge Amado, Brasil Novo e Sinval Palmeira pede socorro”, desabafou ela.

A mãe, que também faz parte do conselho da escola, reconhece que as deficiências se acumulam gestão após gestão, sem que haja uma solução definitiva. Ela destaca que não houve reforma na unidade, como chegou a ser divulgado em 2016.

“Queremos os portões na lateral, no lugar daquelas portas velhas; qualquer pessoa pode ter acesso às dependências da escola, através das falhas em sua estrutura; e queremos que quebrem os bancos [de cimento, na citada área de recreação]”, detalhou.

Pais indignados

O que tem no espaço de recreação são bancos de cimento

Ainda de acordo com a mãe/conselheira, não há sala de informática no local. Mas os equipamentos continuam lá. “Tem vários computadores que há anos estão guardados e nunca foram utilizados pelos alunos; seria para a sala de informática que não existe”, criticou.

Ela acrescenta que o conselho escolar decidiu há meses procurar a Secretaria de Educação de Itabuna, no intuito de saber que providências deveriam ser tomadas. Foram atendidos há três meses, após uma terceira tentativa.

“Deixamos claro que não estávamos culpando a atual gestão pelo erro dos que passaram pela prefeitura, mas que pela integridade física e psicológica das crianças, algo teria que ser feito. Elas foram muito gentis, disseram que iriam dar prioridade à escola, mas o ano está acabando e até agora nada. As crianças continuam sem intervalo e preferimos assim, para não se machucarem. A escola continua sem segurança e nós, pais, indignados”, completou.


A decisão do STF

Com um placar apertado, 6 versus 5, o Supremo Tribunal Federal decidiu aplicar a Lei da Ficha Limpa a políticos condenados antes de 2010.

Entre os seis que se posicionaram a favor da aplicabilidade da Ficha Limpa, destaco aqui os votos dos ministros Luiz Fux e Edson Fachin.

“O prazo de inelegibilidade não é uma punição para o político condenado, mas uma condição de moralidade”. (Fux)

“Como a Constituição se refere à vida pregressa, isso significa que fatos anteriores ao momento da inscrição da candidatura podem ser levados em conta”. (Fachin).

Ora, o princípio da moralidade, principalmente no tocante a coisa pública, é o que deve prevalecer. É mais forte do que qualquer outro argumento.

Diria, usando uma força de expressão, que vale tudo para pegar os que assaltam os cofres públicos. Portanto, a retroatividade da lei, nesses casos, deve ser permitida.

A opinião de que a retroação acarreta insegurança jurídica é café pequeno diante da possibilidade de não punir os que roubaram o dinheiro do povo brasileiro.

Essa roubalheira é a responsável pela insegurança no sentido amplo. É ela que faz faltar escolas, aumentar o desemprego e agravar a injusta e desumana distribuição de renda.

A nossa Carta Magna elegeu o princípio da moralidade como o caminho para a superação da vergonhosa impunidade que toma conta da administração pública.

Deixar esses “homens públicos” sem punição, sob à proteção de qualquer outro pressuposto jurídico, seria, no mínimo, uma atitude desastrosa.

Chega! Chega! O eleitor-cidadão-contribuinte não aguenta mais tanta corrupção, toda essa esculhambação, essa imundície, esse lamaçal que campeia na República Federativa do Brasil.

 

O PSDB e o governo Temer

Um verdadeiro tormento. É o mínimo que se pode dizer do que acontece nas hostes do tucanato quando sai uma pesquisa sobre o governo Temer.

As mais recentes consultas apontam um fato histórico: a pior desaprovação de um presidente da República desde 1986, mais de 85% avaliam negativamente o mandatário-mor do país.

Setores do PSDB estão receosos de que a impopularidade de Temer contamine os candidatos da legenda, seja para os Legislativos federal e estadual, para o governo dos Estados e até mesmo para o Palácio do Planalto.

O problema é que fica cada vez mais difícil o PSDB se descolar de Temer, do seu governo e do PMDB. Dissociar a ligação entre as duas legendas é uma missão complicada.

São inúmeros argumentos, uma enxurrada de detalhes, enfim, um monte de fatos que consolida essa aliança. Segue abaixo alguns pontos.

1 – O PSDB comanda os ministérios de Relações Exteriores, Secretaria de Governo, das Cidades e Direitos Humanos, além de ser um dos principais aliados no Congresso.

2 – O PSDB ajudou a impedir o prosseguimento da primeira denúncia contra o presidente Temer, em que pese ter ficado dividido.

3 – O deputado tucano Bonifácio de Andrade (MG), que é um declarado temista, vai ser o relator da segunda denúncia na Comissão de Constituição e Justiça, a CCJ da Câmara.

4 – O presidente interino do tucanato, senador cearense Tasso Jereissati, mesmo considerado como um rebelde, não tem força para reverter o adesismo ao governo Temer.

5 – Aécio Neves tem a cara do PSDB e é um defensor implacável do governo de plantão. Ainda tem o prefeito paulistano e presidenciável João Doria, outro temista explícito.

6 – O responsável pela articulação política do governo é o tucano baiano Antonio Imbassahy, já considerado com um dos homens de confiança do presidente Michel Temer.

Pois é. Por mais que se esforce, a turma dissidente do PSDB não vai conseguir descolar a imagem do partido do governo. PSDB e Temer, por tabela o PMDB, são inseparáveis.

Só resta ao PSDB torcer para que a única tábua de salvação do governo Temer se transforme em realidade: uma melhora considerável na economia.

Do contrário, eleitoralmente e politicamente falando, o presidente Michel Temer passa a ser um “leproso”. Vão se afastar dele como o diabo da cruz.

Bolsonaro, Dilma e o mensalão      

Pontuando nas pesquisas como vice-líder, Jair Bolsonaro pode disputar o Palácio do Planalto por uma legenda que teve o patrocínio da ex-presidente petista Dilma Rousseff.

Bolsonaro é filiado ao PSC do Rio de Janeiro, mas procura outro partido com o aval dos dirigentes, o que afasta a hipótese de perder o mandato por infidelidade.

O deputado-presidenciável foi atrás do PEN (Partido Ecológico Nacional), que pode mudar de nome e passar a ser o “Patriota”só para agradá-lo.

Não satisfeito com a possibilidade do Patriota, já procura outra agremiação partidária, o “Muda Brasil”, que é o partido comandado por Valdemar da Costa Neto.

Esse Valdemar é aquele condenado no mensalão do PT, que era muito próximo de Dilma e, salvo engano, o presidente nacional do PR, partido da base aliada do governo de plantão.

Dilma Roussef se juntou a Valdemar para viabilizar a criação do Muda Brasil. As portas da nova legenda ficariam abertas para que parlamentares se filiassem sem o risco de serem punidos.

“Espero que Bolsonaro cumpra a palavra”, diz Adilson Barroso, presidente nacional do PEN, que não mediu esforços para tê-lo na legenda, atendendo a todos os seus pedidos.

Adilson não consegue esconder sua irritação e decepção com Bolsonaro. Quando questionado sobre sua filiação ao Muda Brasil, alfineta: “Ninguém quer se filiar a partido de quem anda de tornozeleira”.

Pois é. Aos poucos, Jair Bolsonaro vai se encaixando na realidade do apodrecido sistema político-eleitoral brasileiro. O discurso do “diferente” começa a ser desmoronado.

O Bolsonaro de ontem, não é mais o Bolsonaro de hoje. O pragmatismo e o maquiavelismo continuam dando as cartas na acirrada disputa pelo poder.

Lula e os “cabos eleitorais”

Tenho dito que o ex-presidente Lula, se não ficar inelegível, vai terminar sendo ajudado pela opinião, cada vez mais constante, de que está sendo “perseguido”.

O eleitor brasileiro detesta perseguição, mesmo sabendo que o “perseguido” tem culpa no cartório, como diz a sabedoria popular.

Outro ponto que o eleitorado não gosta, inerente ao mundo da política, é a traição, a criatura passando a perna no criador, no seu padrinho político.

Um bom exemplo de deslealdade e ingratidão é João Doria, prefeito paulistano, com Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, ambos do PSDB.

Doria era, politicamente falando, um “João Ninguém”. Alckmin o lançou candidato contrariando toda cúpula do tucanato, incluindo aí o ex-presidente FHC.

Deu no que deu: Doria quer ser o candidato do PSDB na disputa pelo Palácio do Planalto, dando um chega pra lá em Alckmin, também postulante.

Não à toa que o midiático Doria vem despencando nas pesquisas de intenção de votos. A cada consulta, uma maior rejeição. Doria é o símbolo da traição.

Enquanto Doria cai em decorrência da pecha de traidor, Lula cresce nas pesquisas por ser vítima de “perseguição” por parte da Justiça.

Ninguém é bobo (ou bobinho) ao ponto de pensar que Lula é um santinho e que não exista uma inconteste vontade de torná-lo inelegível.

Erram os dois lados. O que acham que o ex-presidente Lula é inocente e os que querem pegá-lo de qualquer jeito, passando por cima da lei e do devido processo legal.

Com efeito, veja o que escrevi no Diário Bahia em 6 de janeiro de 2017.

“A Operação Lava Jato pode se transformar em “cabo eleitoral” de Lula na sucessão presidencial de 2018. Se não derem o mesmo tratamento aos outros envolvidos no maior escândalo da história da República, principalmente aos tucanos, obviamente do PSDB, vai ficar a impressão, ou melhor, a constatação de que tudo está sendo direcionado para pegar o PT e sua principal liderança. Portanto, para que não haja essa interpretação de que o petismo está sendo perseguido, é preciso que um tucano de plumas exóticas e bico afiado seja engaiolado”.

Se o Senado lançar mão do corporativismo para impedir que Aécio Neves deixe de exercer o seu mandato, conforme decisão do STF, vai também passar a ser mais um “cabo eleitoral” de Lula.

Parece estranho, mas é a pura verdade. Tucano preso é ruim para o PT e, por tabela, para Lula. A condição de “perseguido” deixa de existir.

O sumiço dos Conselhos

Com os parlamentares sendo investigados no âmbito da Operação Lava Jato, alguns já condenados e presos, outros ainda soltos, se previa uma atuação frenética dos Conselhos de Ética.

Não é o que está acontecendo. Na atual legislatura, apenas dois parlamentares foram cassados, salvo engano pela Câmara dos Deputados.

E o Conselho do Senado, ainda existe? A corrupção correndo solta, o assalto aos cofres públicos cada vez mais escancarado, a sem-vergonhice debochando de todos, e nada.

O corporativismo funciona como um parente bem próximo da impunidade. Andam de mãos dadas desafiando a Justiça e as instituições.

Agora mesmo o Senado da República manobra para não cumprir a decisão do STF de suspender o mandato do senador Aécio Neves (PSDB).

Para amenizar a descabida proteção a um parlamentar vezeiro em fazer estripulia com o dinheiro público, os colegas passam a defender que o caso seja submetido ao Conselho de Ética.

Vai para o Conselho só para dar uma falsa satisfação à sociedade. Depois é só engavetar a denúncia e pronto. Fica o dito pelo não dito.

Outro detalhe é que os Conselhos são mais acionados por desavenças pessoais entre deputados e senadores do que por crimes praticados pelos parlamentares.

Se fosse um Congresso sério, que lavasse a roupa suja na própria lavanderia, os Conselhos de Ética estariam sobrecarregados, trabalhando de domingo a domingo.