Coluna de Mariana Benedito – Sobre ser instrumento


“Tudo que a gente reconhece no outro é porque conhecemos em nós. Isso vale para aspectos positivos e negativos”


 

Temos mais de um ano desta coluna já. O tempo passa voando, meu caro leitor! Semanalmente temos esse encontro marcado para pensar, refletir, observar, avaliar, ponderar, buscar caminhos e nos permitir a mudança. Ao longo destes quase dois anos, construímos uma relação, uma parceria, até mesmo certa intimidade, não é? Você que me lê aí do outro lado sabe um tiquinho sobre mim e eu, em contrapartida, estou aqui para despertar, plantar a sementinha aí dentro de você da importância do autoconhecimento e do quanto ele pode transformar a vida, porque transformou a minha.

Sou muito grata pela oportunidade de estar aqui, neste espaço, falando e escrevendo e conversando sobre essa temática que me fascina tanto; e eu tenho certeza que esta coluna se tornou o que é justamente pelo encantamento que me causa falar sobre o que falamos aqui, mexe comigo, me fascina, me impulsiona. Tem meu coração em cada linha. E sou ainda mais grata pela confiança de você que me lê, que permite que as palavras que escrevo aqui te invadam, te ressoem, te façam sentido, te transformem. E se te causam tudo isso, é puramente mérito seu, meu amado ser!

Ao longo desta caminhada, venho recebendo várias mensagens, feedbacks, comentários, agradecimentos. Muitas pessoas dizem o quanto que admiram o meu trabalho, o quanto parece que a gente está conversando pertinho, tomando uma xícara de chá – porque eu não tomo café – e o quanto que minhas palavras são instrumentos de mudança. Fico extremamente grata, sempre! Mas, meu querido leitor, hoje eu quero te dizer que todos nós somos instrumentos. Cada ser humano na face deste planeta chamado Terra exerce uma influência sobre outros, auxilia, motiva, impulsiona, ajuda à sua maneira. Eu gosto de escrever e tenho certa facilidade com as palavras, é a minha forma de serviço, de auxílio, de utilidade; você, meu amado, pode ter uma serenidade em resolver conflitos ou uma gentileza peculiar em atender a alguma solicitação ou rapidez em solucionar problemas. Nós todos somos instrumentos, cada qual com seu talento e sua missão.

Você é um instrumento! Toda a sua caminhada, com erros, acertos e tropeços, te trouxe até aqui, neste momento. A ideia de melhoramento, mudança e transformação não quer dizer que quem você é hoje não tenha valor. Muitíssimo pelo contrário! Quem você é traz sabedoria, aprendizado, vivências, experiências, dores e delícias. Pare neste momento e avalie tudo que você já viveu, já enfrentou, as dificuldades que superou, as lágrimas que derramou, as angústias que guardou, os obstáculos que venceu. Essa é a sua história e ela precisa ser profundamente honrada.

A transformação vem a partir do entendimento de que você pode se aperfeiçoar, da consciência de que não somos perfeitos e nosso propósito aqui é ser quem somos, sem as vozes que gritam mentiras, sem as dores que nos separam e sem os medos que nos paralisam.

Tudo que a gente reconhece no outro é porque conhecemos em nós. Isso vale para aspectos positivos e negativos. Tem uma frase de Jung que diz que tudo que nos irrita no outro pode nos levar a uma compreensão melhor de nós mesmos; mas, meu amado leitor, nem só de defeitos e irritação vive o homem. Nós também nos identificamos com o outro, percebemos qualidades, pontos positivos, elogiamos, reconhecemos o valor do outro. E, quando isso acontece, é porque nós também temos estes valores dentro de nós.

Então, a você que me lê aí do outro lado e me encontra pela cidade ou pelas redes socias – ou até mesmo nem me conhece pessoalmente, mas, ao ler esta coluna, emana o pensamento – e diz que, de alguma forma, as minhas palavras mexeram com você ou chegaram quando você estava precisando ou que eu ilumino com meu trabalho, saiba que tudo que você enxerga em mim é porque existe em você. Se permita reconhecer.

Você também é um instrumento! Espalhe as sementes.

 

– Psicanalista em formação; MBA Executivo em Negócios; Pós-Graduada em Administração Mercadológica;

E-mail: mari.benedito@outlook.com