Corte de adicional motiva protesto de professores na Prefeitura de Itabuna

Logo pela manhã, o grupo de professores se manifestou na sede da Prefeitura (Foto: Ascom SIMPI)

 

A retirada do adicional de atividade de classe (AC) de cerca de 500 professores que atuam em sala de aula na rede municipal de Itabuna é alvo de protesto da categoria. Prevista no decreto nº 12.694/17, a alteração repentina levou a manifestação na sede da Prefeitura e o pedido de saída da secretária de Educação, Anorina Smith Lima.

Muitos professores se queixaram do comportamento adotado pela secretária, afirmando que seus discursos são autoritários e não representam a categoria na cidade. “Infelizmente estamos vendo uma mulher que tanto lutou pela educação rasgar a sua história”, declara uma professora manifestante.

Na manhã de ontem (2), os profissionais se reuniram numa assembleia na sede do Sindicato do Magistério Municipal Público de Itabuna – SIMPI, para tratar do assunto. Na ocasião, a presidente do SIMPI, professora Carminha Oliveira, enfatizou que a luta, agora, será por “nenhum direito a menos”.

“Secretários devem sentar naquela cadeira para cuidar de nossa categoria, melhorar a educação e ampliar direitos, não reduzi-los”, afirmou a sindicalista. Ao longo da assembleia, os professores deliberaram pelo indicativo de greve como forma de pressionar o governo, para que se revogue a o decreto.

Os professores programaram um ato na Câmara de Vereadores, na tarde de ontem. Também estava previsto um encontro dos edis com a secretária, para tratar de assuntos ligados à pasta.