“Fabinho Nazoera” lutava contra doença no cérebro

Fábio Santos Pinto (Fabinho Nazoera) era presença garantida em todas as festas

“O menino-alegria”. Assim os amigos resumem Fábio Santos Pinto, conhecido em Itabuna e região como “Fabinho Nazoera”. Ele faleceu sábado (26), aos 40 anos, e foi sepultado um dia depois no Cemitério Campo Santo, após inúmeras manifestações de carinho e admiração.

Poucas pessoas sabiam que, desde novembro de 2016, Fabinho estava com um problema que provocava falta de oxigenação no cérebro e alguns episódios de amnésia. Ele vinha tomando remédios, mas em paralelo a isso, não deixou de viajar, se divertir e viver intensamente até o fim.

Velado no Santa Fé com a bandeira do Flamengo (time do coração) e do grupo de ciclismo Pedal Bom, do qual ele era integrante, recebeu homenagens e destaque absoluto para a forma leve e feliz como viveu. Na entrada do cemitério, os companheiros de pedal fizeram um corredor com bicicletas empinadas para o cortejo passar.

A última foto postada no Facebook de Fabinho, na cobertura do show d’O Rappa

 

Do futebol à fotografia

O rapaz chegou a brilhar no futebol amador, na década de 90, mas foi na fotografia que ele encontrou um dos maiores prazeres. Fundou o site “Nazoera” há aproximadamente 12 anos e, desde então, foi um dos pioneiros na cobertura fotográfica de eventos, principalmente em Itabuna.

Aliava trabalho a diversão e assim pôde fazer até a véspera da morte. Afinal, estava em cima do palco da AABB, pra captar imagens da alegria da multidão, pouco antes do primeiro show da banda O Rappa na cidade, na sexta-feira (25). À 00h59min já de sábado, postou no Facebook a última foto, com a seguinte legenda: “Pedro Ponder agora no palco, logo mais O Rappa”. Depois do trabalho, seguiu para casa, no bairro São Judas, e ninguém teve notícia dele ao longo do dia.