COLUNA DE MARIANA BENEDITO – Janeiro Branco e a importância da Saúde Mental


"se priorize, se cuide, se dê atenção"


                

O mês de janeiro é todo destinado e dedicado à nossa saúde mental, numa campanha de conscientização promovida por psiquiatras, psicólogos, psicanalistas. Ok, Mariana, mas porque a saúde mental é assim tão importante? Você pode questionar aí do outro lado, querido leitor. E é um questionamento muito válido. Veja só, segundo a Organização Mundial de Saúde, saúde mental é um estado de bem-estar que nos torna capazes de usar nossas habilidades, nos recuperar do estresse cotidiano, ser produtivos e contribuir de forma positiva para a sociedade. A verdade é que a saúde mental engloba os nossos aspectos emocionais, a forma como lidamos com eles, a capacidade que temos de apreciar a vida mesmo com todos os seus conflitos, faltas, dores e delícias. Buscando o bom e velho equilíbrio.

Saúde Mental não significa somente não ter doença mental, psíquica, psicológica. Pessoas mentalmente saudáveis vivenciam e passam diariamente por uma série de emoções. Sentem raiva, alegria, tristeza, satisfação, prazer, medo, frustração, amor. Pessoas mentalmente saudáveis são capazes de enfrentar os desafios, mudanças e transformações da vida – porque eles existem e vão existir sempre! – mantendo o mínimo de estabilidade, se equilibrando da melhor maneira nessa corda-bamba que é viver. É seguir no “sussa na montanha-russa”, lembra? Pessoas mentalmente saudáveis procuram ajuda quando o calo aperta demais e sentem dificuldade em lidar com a ansiedade, com os conflitos, traumas, medos, dores, inquietações.

Repare, meu caro leitor, todo ser humano na face deste planeta chamado Terra passa por dificuldades. É normal de nossa raça. E buscar ajuda também é algo normal. Fazer terapia é algo normal. E a gente precisa desmistificar essa ideia de que terapia, análise é só para quem tem algum tipo de transtorno, de doença. Não é! A gente escova os dentes, toma banho, lava os cabelos, corta as unhas. Não é mesmo? A gente precisa de manutenção. E assim é com a nossa cabeça: precisamos de manutenção. E a terapia é esta manutenção. A saúde da nossa mente é tão importante quanto a nossa saúde física, até mesmo porque quando algo não está legal dentro da nossa cabeça, tudo do lado de fora também fica meio nublado, meio cinza, desencaixado. A gente pode mudar de ares, mudar de lugares, de casa, de cidade, de país…, mas, por mais óbvio que possa parecer, a nossa cabeça vai junto. Então se não resolvemos as questões internas, as externas também ficam complicadas, porque elas são reflexos daquilo que se passa por dentro.

E eu digo a você que me lê aí do outro lado, que não só em janeiro, mas durante todo o ano, nós possamos ser mais verdadeiros com o que sentimos, sinceros e transparentes com relação aos nossos conflitos e desafios. Que a gente se permita falar mais sobre o que sente, olhar para o que sente. Dialogar, expressar, comunicar, conversar sobre o que acontece dentro deste universo único que é cada um de nós.

E deixo um pedido especial a você, meu caro e querido leitor: cuide de sua saúde mental. Cuide de suas emoções. Cuide da sua qualidade de vida, porque é isso que a gente ganha quando damos atenção ao lado de dentro: qualidade de vida, das relações, da relação com a gente mesmo. Qualidade da forma como a gente enxerga o mundo, enxerga o outro.

E por mais que exista aquele ditado que diz que “se conselho fosse bom, não se dava, se vendia”; pode acreditar, que esse é dos bons: se priorize, se cuide, se dê atenção. E, se precisar, busque um profissional qualificado para te ajudar a lidar com seus conflitos.

Você só tem a ganhar!

 

  • – Psicanalista em formação; MBA Executivo em Negócios; Pós-Graduada em Administração Mercadológica; Consultora de Projetos da AM3–Consultoria e Assessoria.
  • E-mail: benedito@outlook.com