LÚCIO, CHARLIANE E O MDB


Colunista Marco Wense sai em defesa de Antônio Cavalcante e Maruse Xavier


Se Lúcio Vieira Lima tem o aval do comando estadual do MDB para decidir sobre o rumo que o partido deve tomar na sucessão de Itabuna, tudo bem. Do contrário, está fazendo de Alexsandro Freitas Silva, mais conhecido como “Alex Futuca”, que é o presidente da legenda, um dirigente fantasma.

Lúcio vem dando as cartas no emedebismo itabunense, passando por cima de tudo e de todos, impondo de maneira intransigente e antidemocrática o nome da vereadora Charliane Souza como a pré-candidata da sigla ao cobiçado centro administrativo Firmino Alves. O detalhe é que a edil continua filiada ao PTB.

Alguém precisa avisar ao ex-deputado federal, irmão de Geddel Vieira Lima, ex-ministro dos governos de Lula e Dilma Rousseff, que o MDB de Itabuna tem dois prefeituráveis, a desportista Maruse Xavier e Antônio Cavalcante, também edil e presidente do diretório local.

Lúcio, alvo da Operação Lava Jato, em decorrência do “banck” de R$ 51 milhões “depositados” em um apartamento, trata as legítimas postulações de Maruse e Cavalcante com um inominável desdém, como se fossem filiados recém-chegados, sem nenhuma história no MDB de Itabuna.

O que se comenta nos bastidores, longe dos holofotes e do povão de Deus, é que já passou da hora de Maruse e Cavalcante terem uma conversa com Alex Futuca, dirigente-mor do MDB da Bahia. Alertá-lo para que Lúcio não conduza o processo sucessório de maneira escancaradamente parcial, dando declarações como se a candidatura de Charliane, pelo MDB, fosse irreversível e inarredável. Favas contadas.

Correligionários mais próximos de Maruse e do vereador-prefeiturável começam a ficar irritados com a postura de Lúcio, que parece o presidente estadual de fato e de direito do MDB.

Se Lúcio Vieira Lima estiver agindo com o endosso de Futuca, com seu ok e complacência, será perda de tempo futucar Futuca. É o mesmo que dar murro em ponta de faca, como diz a sabedoria popular.

Vale lembrar que o vice-prefeito de Itabuna é Fernando Vita, filiado histórico da legenda. Vita quer ser novamente o companheiro de chapa de Fernando Gomes, que ainda não decidiu se vai ou não disputar o sexto mandato. O alcaide continua integrante do MSP (Movimento dos Sem Partidos). A mais provável legenda do gestor é o PP do vice-governador João Leão.

Se Maruse e Antônio Cavalcante querem mesmo ser candidatos, o melhor conselho é procurar outro abrigo partidário. Lúcio é Charliane desde criancinha.

Sucessão municipal Itabuna
Lúcio Vieira Lima. Foto: arquivo/Diário Bahia

PS – Em relação ao devaneio de Lúcio Vieira Lima de que vai articular para que Mangabeira, prefeiturável do PDT, seja o vice de Charliane, aprendi que a melhor resposta para as quimeras da política é não dar resposta. Usar a expressão “sem comentários”.






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *