Professores ameaçam não iniciar aulas e dão prazo para receber terço de férias

As mais recentes decisões foram tomadas nesta assembleia, no auditório do sindicato dos professores (Foto: Jeremias Barreto)

Os professores da rede municipal de ensino de Itabuna se reuniram em assembleia na tarde de quinta-feira (22), quando discutiram a falta de pagamento do terço de férias. A irregularidade, alertam, poderá impedir o retorno das atividades no dia 05 de março. A classe decidiu que só participará da Jornada Pedagógica e retornará às salas de aula se o pagamento for efetivado até a próxima quarta-feira, dia 28 de fevereiro.

De acordo com a presidente do SIMPI – sindicato da categoria –, professora Carminha Oliveira, o sindicato tem cobrado o referido pagamento constantemente, mas o governo tem alegado falta de recursos financeiros. Outra situação discutida na assembleia foi referente ao calendário escolar de 2018, que contém oito sábados letivos na proposição.

Os professores já haviam se manifestado que só trabalhariam aos sábados, se houvesse o pagamento de horas extras. “Nós já havíamos informado essa situação ao Governo, mas em mesa de negociação pediram que trouxéssemos novamente o tema para a categoria. Portanto, a classe foi categórica ao afirmar que só trabalhará aos sábados se houver respeito aos direitos trabalhistas e ao pagamento de horas extras”, afirma Carminha Oliveira.

Campanha salarial

Além das discussões envolvendo as questões trabalhistas, a diretoria do SIMPI leu o edital de convocação e lançou a Campanha Salarial 2018, cujo tema é “#VouÀLuta para cada corte de direitos”. Além disso, a assembleia aproveitou a oportunidade para eleger os novos professores que terão assento no Conselho da Alimentação Escolar. Foram eleitos a professora Célia Oliveira como conselheira titular e o professor Edjaldo dos Santos como suplente.

O sindicato deverá informar oficialmente o governo acerca das decisões e, em breve, convocar a categoria para novas deliberações.