Sonhos


"Os sonhos são uma espécie de arrumação que a mente da gente faz quando a consciência não está presente".


 

Existe uma atmosfera mística, misteriosa, cheia de nuances quando a gente fala sobre sonhos. Toda uma busca pelo entendimento, antes de qualquer coisa, pelo que os sonhos são, de fato; de onde vêm, qual a função, porque sonhamos e, depois, pelo significado deles. A importância e mistério dos sonhos sempre permeou a história da humanidade: como os sonhos premonitórios de José, filho de Jacó; os sonhos dos faraós e até hoje a gente sente esse fascínio pela interpretação dos sonhos.

Minha intenção aqui não é fazer um artigo teórico sobre os sonhos na visão psicanalítica, mas a Psicanálise tem muitíssimo a esclarecer sobre essas ceninhas que aparecem na cabeça da gente quando a gente está dormindo; e Freud, que é a mente brilhante por trás de tudo isso, se debruçou tanto no estudo, pesquisa e busca pelo entendimento dos sonhos – e teve tão grandes constatações e análises – que, hoje, os sonhos são uma das principais ferramentas de investigação de nosso inconsciente na prática clínica.

Certo, mas você pode estar se perguntando nesse exato momento, amado leitor, o porquê de os sonhos serem uma poderosa ferramenta de investigação do nosso inconsciente. Vou explicar, se achegue! Os sonhos são uma espécie de arrumação que a mente da gente faz quando a consciência não está presente. Nossa consciência possui guardiões – os mecanismos de defesa – que evitam que as lembranças dolorosas, de medo, de rejeição, de abandono, ou até mesmo aqueles desejos que não são tão aceitáveis socialmente ou que a gente sabe que não deve saciar, fiquem martelando o tempo inteiro na cabeça da gente e se mantenham, pelo nosso bem, no inconsciente; daí, quando a gente dorme, esses guardiões ficam mais fracos, mais vulneráveis e as lembranças, dores, traumas têm mais facilidade de vir a tona e os desejos encontram uma maneira de serem satisfeitos. Entendeu? Por isso que dizemos que os sonhos dizem muito sobre aquilo que somos!

Porém, seria muito fácil se fosse assim fácil, né? O sonho tem, para a Psicanálise, um conteúdo manifesto e um conteúdo latente. Calma, que eu explico. Esses mesmos guardiões que, durante o sono ficam mais fracos, não deixam de trabalhar! O conteúdo inconsciente que quer vir à consciência, que quer que a gente olhe para ele, é o conteúdo latente, o real, o que provoca o sonho e é recheado com toda a carga emocional. Mas, os guardiões da consciência ainda têm força enquanto a gente está dormindo e filtram o que vem para o sonho, para que a gente não acorde desesperado, assustado, em pânico com o que sonhou – esse é o conteúdo manifesto, aquele que é lembrado.

A grande questão da interpretação dos sonhos é que, muito embora existam símbolos e significados do inconsciente coletivo que são comuns, o sentido do sonho depende do sonhador. Por exemplo: uma pessoa que tenha caído de um cavalo quando criança e tenha medo ou receio de cavalgar, o significado do seu sonho com um cavalo não vai ser o mesmo de uma outra pessoa que ame e ache cavalo o animal mais bonito do mundo. Percebe? Daí a importância de compreender o contexto de vida, as histórias, a vivência de cada pessoa para poder chegar o mais próximo possível do que aquele sonho está querendo revelar. É fascinante!

Porém, meus amigos, um tipo de sonho ainda é realmente um mistério. Os sonhos premonitórios. Esses, a ciência ainda não explica. E é aquela coisa, precisamos compreender que existem mais coisas entre o céu e a terra do que imagina a nossa vã filosofia, Horácio. E acreditar que esses sonhos existem, porque existem. Não é porque não possui uma definição racional, lógica que deixa de ter valor e credibilidade.

Deixo o convite para você, que me lê aí do outro lado, que preste atenção aos seus sonhos. Observe se eles são recorrentes, os símbolos que traz e se pergunte mesmo o porquê de estar sonhando com isso. É um caminho de muito desbravamento, autoconhecimento e, se quiser aprofundar na investigação de todo esse conteúdo que está pedindo para sair, nada melhor do que uma análise psicanalítica.

Com o que você anda sonhando?

 

  • Psicanalista em formação; MBA Executivo em Negócios; Pós-Graduada em Administração Mercadológica; Consultora de Projetos da AM3–Consultoria e Assessoria.

E-mail: mari.benedito@outlook.com