Tomate “pesa” e 2018 começa com cesta básica mais cara em Itabuna e Ilhéus

 

O tomate foi o grande vilão da cesta básica no primeiro mês de 2018

 

Início de ano é a época de elevação das despesas. Além dos velhos conhecidos, como material escolar e impostos, os consumidores de Itabuna e Ilhéus ainda têm que encarar um “peso” a mais no bolso: a cesta básica, que ficou mais cara nas duas cidades em janeiro.

Composta por 12 itens alimentares (feijão, arroz, farinha de mandioca, pão, carne, leite, açúcar, banana, óleo de soja, manteiga, tomate e café), a cesta passou a custar R$ 335,36 em Itabuna. O aumento foi de 10,39% em relação ao mês anterior, de acordo com dados divulgados pelo departamento de Ciências Econômicas da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

Dos produtos que compõem a lista, sete apresentaram acréscimo no preço. O tomate foi o principal vilão, com um aumento de 62,55%. A banana da prata também registrou alta (36,65%), seguida da manteiga (2,32%), açúcar (1,78%), carne (1,29%), café (0,93%) e pão (0,54%).

Em contrapartida, alguns itens ficaram mais em conta para os itabunenses. O feijão, queridinho dos brasileiros, foi o que registrou a maior redução (5,42%). Também ficaram mais baratos a farinha de mandioca (3,51%), óleo de soja (3,30%), arroz (3,27%) e leite (1,23%).

Ilhéus

Na “Terra da Gabriela”, o aumento no preço da cesta básica foi ainda maior: 15,33%. Em janeiro, ela passou a custar R$ 361,27. Segundo o estudo realizado pela Uesc, sete produtos ficaram mais caros. E o tomate, mais uma vez, foi o destaque. O preço dele subiu 83,22%. O da banana, 41,35%; da manteiga, 4,81%; do pão, 3,30%; da carne 2,46%; do açúcar, 1,32% e do leite, 0,59%.

Para ajudar a equilibrar o valor da cesta, outros produtos ficaram mais baratos. Foram eles: feijão (7,46%), óleo (3,99%), arroz (1,47%), farinha (1,08%) e o café (1,07%).