VAIAS

– PARA a situação percebida – e lamentada – em algumas ruas de Itabuna, principalmente em dias chuvosos. É quando os buracos viram enormes poças de lama e fica bastante complicado para os pedestres e os veículos. Não se trata de uma realidade apenas dos bairros periféricos, o que sempre foi frequente. No São Judas, onde se paga de R$ 1.500 a R$ 2 mil de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), o problema é comum. Na rua França, por exemplo, onde fica o antigo hospital São Judas, habitantes relatam um rosário de carências. Como ação mais imediata, eles cobram da Prefeitura uma equipe para retirar o mato e o envio de caçambas com cascalho, para melhorar o trânsito. Como recentemente começou uma operação tapa-buracos, espera-se que chegue, também, até aquela via. (foto)

– PARA mais um revoltante episódio de aluno agredindo professor. Desta vez, no município de Teixeira de Freitas, extremo-sul da Bahia. Uma garota de 13 anos deu tapas, socos e pontapés na educadora, simplesmente porque não aceitou sair do braço da cadeira onde estava sentada. O ato motivou um protesto na segunda-feira (26), quando estudantes e docentes deram um abraço simbólico em volta da Escola Clélia das Graças Figueiredo Pinto, num pedido de paz. Notícias assim nos levam a indagar, num grito interno e sem resposta: onde está a disciplina? Onde está o respeito a uma das mais sublimes profissões? Como tão brilhantemente constata o cantor e compositor Nando Reis, “O que está acontecendo? O mundo está ao contrário e ninguém reparou”.