BOLSONARO E O NORDESTE


Como explicar o crescimento de Bolsonaro no Nordeste?, pergunta Wense


A queda no índice de rejeição do presidente Bolsonaro na região Nordeste, que passou um bom tempo sendo o reduto eleitoral mais forte do lulopetismo, vem preocupando seus prováveis adversários na sucessão de 2022.

Na último pleito para o comando do cobiçado Palácio do Planalto, a diferença de votos entre Bolsonaro e Haddad, então candidato do PT, só não foi maior devido ao eleitorado nordestino. Falo do segundo turno.

Como explicar o crescimento de Bolsonaro no Nordeste? Uma das respostas seria que sua popularidade cresceu em decorrência do auxílio emergencial nessa crise provocada pelo novo coronavírus. Aliás, qualquer um que fosse eleito faria a mesma coisa, quem sabe até com um valor maior.

O “x” da questão é que o bolsonarismo vai deixando de lado o que sempre criticou : a implementação de políticas sociais assentadas na ajuda em dinheiro para os mais necessitados, como, por exemplo, o Bolsa Família.

Assim como o então presidente Lula fez com Fernando Henrique Cardoso, mudando o programa social do governo FHC para Bolsa Família, Bolsonaro vai fazer a mesma coisa. Ou seja, vem aí o Renda Brasil.

Como não bastassem as pesquisas de intenções de voto que apontam um crescimento de Bolsonaro – na Bahia foi de quase dez pontos percentuais -, tem o líder maior do PT, obviamente Luiz Inácio Lula da Silva, inelegível por força da Lei da Ficha Limpa e prestes a ser condenado pela terceira vez na Lava Jato.

O PT ensinou o “pulo do gato” ao presidente Bolsonaro, mais especificamente na região do país mais pobre.






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *