NÓS TEMOS UM PRESIDENTE?


Antonio Nunes de Souza*: “fomos agraciados(?) com uma administração governamental cheia de controvérsias descabidas”


Sinceramente, tenho sérias dúvidas!

Na minha longa vida, infelizmente, tive oportunidade de ver o nosso querido país abalado, ameaçado, delapidado, desmoralizado e, literalmente, saqueado por uma gama substancial de políticos, além de golpes hediondos. E, em todos eles, tristemente, nossa democracia esteve abalada, assim como a nossa constituição sofreu grandes ameaças, por ações, verdadeiramente, descabidas!

Nesse atípico e inusitado período, que enfrentamos uma pandemia cruel e mortal, ao mesmo tempo, fomos agraciados(?) com uma administração governamental cheia de controvérsias descabidas, choques de interesses políticos contra a ciência, bastante alardeados em toda mídia e, absurdamente, existe uma cegueira anômala e grotesca de uma fatia de tolos, puros ou interessados, que, veementemente, dão todo apoio aos atos, ações e atitudes, por mais incoerentes que sejam.

Chegando a uma grande corrente religiosa ter, ridiculamente, apelidado o principal mentor de “mito”, dando a impressão que esse Messias seja a volta reencarnada de Jesus de Nazaré, quando, na verdade, seu comportamento desde o início da sua gestão e sua personalidade, nos deixam crer que, se ele é uma reencarnação, com certeza, ou é de Mussolini ou Hitler!

Estamos à espera de um resultado da CPI da Covid-19, para que sejam, categoricamente, comprovadas as culpas dos absurdos comportamentos que, infelizmente, ampliaram bastante a quantidade de óbitos, quer seja pela omissão de compras de vacinas, falta de oxigênio e a deliberada determinação para usar a Cloroquina como “tratamento precoce”, sendo essa droga completamente sem eficácia e com perigo cardíaco!

Enquanto todos os países se preservam com o distanciamento social, máscaras e lockdown quando necessário, nosso presidente alardeia em alto e bom tom para que não se use a proteção básica e, ao mesmo tempo, provoca em todas as suas saídas, ou manifestações políticas disfarçadas, volumosas aglomerações, saindo sorridente e abraçando todos com uma tranquilidade, que somente uma pessoa insana seria capaz de imitá-lo!

Como lamento metade dos brasileiros votarem em um homem, depositando todas as suas esperanças e, infelizmente, estar convivendo com contradições, incoerências e uma guerra política contra a ciência!

Gostaria que fosse diferente, ele se revelasse um homem com pensamentos humanitários, solidário com o povo, cuidasse da saúde e segurança com bons propósitos, procedendo como deve um chefe de estado de uma nação como a nossa, não dando margens a sermos censurados e ridicularizados internacionalmente!

Não tenho candidato para a próxima eleição de 2022, aliás, eu nem mais voto, entretanto, peço a Deus que abra os olhos do povo e escolham alguém que tenha maiores competências e sensibilidades, pois o Brasil precisa e merece!

*Escritor-Historiador-Membro da Academia Grapiúna de [email protected]ot.com