Parceria entre distribuidoras prevê interiorização de gás natural na Bahia, a partir de Itabuna


A parceria promete atender regiões ainda não alcançadas por este mercado


Com o objetivo de ampliar a distribuição do gás natural liquefeito (GNL) no estado, as empresas Petrobahia, GNLink e Bahiagás estão à frente de um projeto que prevê a interiorização do produto, a partir do município de Itabuna. A parceria promete atender regiões ainda não alcançadas por este mercado, levando ainda mais desenvolvimento e sustentabilidade ao interior baiano.

Os detalhes do projeto foram apresentados durante o Bahia Oil & Gas Energy, realizado em Salvador com a presença de autoridades, além de especialistas e empresários do setor, garantindo resultados positivos às empresas expositoras. Para o CEO da Petrobahia, Thiago Andrade, o balanço da participação da companhia no evento é o melhor possível.

“A gente reuniu fornecedores, parceiros, clientes, além da sociedade civil organizada, na sua diversidade, tendo a oportunidade de apresentar um pouco sobre o que é a Petrobahia e o que a gente faz. Uma vitrine importante para mostrarmos qual é a nossa visão de negócio no processo de transição energética, além de investimentos em biocombustíveis num total de R$ 50 milhões. Enfim, uma agenda estruturante para o desenvolvimento do mercado na Bahia e no Brasil”.

Atualmente, a Petrobahia investe, junto com demais empresas, em projetos de gás natural para atender o processo de interiorização no país, sendo em Poço Maduro, no estado de Sergipe, e a partir da liquefação do gás, da Bahiagás. “Trabalhamos com esse projeto de interiorização do gás via gás natural comprimido, há 13 anos, e há três anos vem desenvolvendo o mercado de GNL, em pequena escala, no transporte via carretas”, ressaltou Thiago.

Nessa área de distribuição de gás natural liquefeito (GNL), a Petrobahia conta também, além da Bahiagás, com a parceria da GNLink, distribuidora do produto em pequena escala. As duas empresas estão desenvolvendo projetos de interiorização do gás natural em regiões não atendidas por gasodutos e gás natural liquefeito e comprimido, para distribuidoras de gás natural a mil quilômetros de cada polo supridor, e também para postos de GNV e indústrias.

*Inovação*
A parceria viabiliza a Bahiagás, a GNLink e a Petrobahia a desenvolverem o mercado de interiorização do gás, a partir de Itabuna, nesse primeiro momento, numa base de liquefação e de compressão. O objetivo é desenvolver os municípios que, hoje, estão distantes dos dutos de gás, proporcionando ou estabelecendo, inclusive, a estrutura necessária para a interiorização do gás da Bahiagás. A perspectiva também é garantir uma base no Rio Grande do Norte, atendendo um eixo de atuação limítrofe entre os estados.

“São vários anos já de desenvolvimento e de estruturação nesse mercado, muitas lições aprendidas e, de fato, fazendo uma ampliação estrutural no número de projetos que a gente vai atuar. Com um polo no Rio Grande do Norte e outro na Bahia, a um raio de mil quilômetros, a gente cria uma zona de cobertura no Nordeste, com a tendência de sermos o principal parceiro para o desenvolvimento do gás na região”, explicou o CEO da Petrobahia.

A Base de Itabuna, prevista para iniciar suas operações no segundo semestre de 2024, representa investimento de R$ 150 milhões. A estrutura terá capacidade para produzir 88 mil metros cúbicos de gás liquefeito diariamente e adicionalmente 10 mil metros cúbicos de gás natural comprimido.

Também presente no Bahia Oil & Energy, o CEO da GNLink, Marcelo Rodrigues, destacou a parceria com a Petrobahia. “Esse é um projeto de interiorização inovador no estado da Bahia. “É um projeto de transição energética. Muitas cidades baianas não têm gás natural, e seremos capazes de proporcionar este benefício para diversos clientes, especialmente para a Bahiagás. A Petrobahia poderá, inclusive, ampliar a sua rede de postos de GNV, a partir do nosso projeto”.